15516 Visitas. Obrigado!
Untitled Document

HARD BIKE TOUR 11


JORNADA NO JARDIM
DE
LÚCIFER

Quebrada de Humahuaca

Largada e Chegada

Cidade de La Quiaca
Cidade de Santa Maria

PUNA DO ATACAMA / 500 MILHAS

Alto del Toro

REPÚBLICA ARGENTINA

SETEMBRO/2014

Ruta Nacional 40

"DESIERTO del DIABLO"

Quebrada de Las Conchas

DEVIL TOUR

Deserto das Grandes Salinas

SUPPORT BABY BIKE TEAM
"AQUI O BICHO CHORA!!"

Richard Lavoisier - Ciclista de Resistência e Navegação
Diney Rodriguez - Piloto de Apoio, Mecânica e Imagens

Vale de Lerma

"LONGE É UM LUGAR QUE NÃO EXISTE"

Serpente de Lipán


INTRODUÇÃO

Puna, no idioma Quéchua, significa região alta, desértica e inóspita. Localizada no alto da Cordilheira dos Andes, é a parte mais alta do Deserto do Atacama. Com uma área aproximada de 200.000 Km², posiciona-se no extremo oeste da América do Sul e é compartilhada por Bolívia, Peru, Chile e Argentina, que detém 75% de toda a área. Com altitudes que ultrapassam os 5.000 m.s.n.m e temperaturas que chegam facilmente abaixo de zero, podendo chegar até -20 °C em algumas regiões, pouquíssimas e violentas chuvas, ventos muito fortes e níveis de oxigênio extremamente baixos, a região é considerada uma das mais hostis e perigosas do planeta, recebendo os apelidos de Deserto do Diabo ou Jardim de Lúcifer. Apresentando uma mudança constante de cenários com vastos espaços e áridas paisagens, flora e fauna bastante escassas, pouco habitada e oferecendo condições de sobrevivência bastante difíceis, a Puna do Atacama é na verdade, um deserto frio, seco e agressivo. Suas paisagens desconcertantes e enigmáticas porém, fazem dela uma das regiões mais lindas do Planeta. Com muitas montanhas coloridas, desfiladeiros intermináveis, grandes lagos de sal e formações rochosas das mais estranhas formas, além de lagoas coloridas e vales gigantescos, o Deserto da Puna do Atacama tem tudo para oferecer uma Hard Bike Tour fantástica dentro do espírito original do Break on Through Project.

 

VÍDEOS

 

Pré - tour

02 e 03/09 de 2014

Chegada e aclimatação na cidade de La Quiaca

Centro de La Quiaca
"Turistas Idiotas..."
Diney Rodriguez

Chegamos na cidade de La Quiaca, fronteira da Argentina com a Bolívia, situada a cerca de 3.500 m de altitude, no extremo norte da província de Jujuy, por volta de 16:00 hs do dia 02/09/14, após percorrermos pouco mais de 2.500 km desde a cidade de Londrina - Pr, de onde havíamos saído nas primeiras horas do dia 01/09, aproveitando uma carona do grande Everaldo até Foz do Iguaçu, onde alugamos um automóvel na cidade fronteiriça de Puerto Iguazú.
Descolamos um bom hotel no centro da cidade e fomos descansar da longa e cansativa viagem. No dia seguinte, passeamos pela região onde fomos conhecer o Cerro Colorado e, na parte da tarde, o ciclista aproveitou para fazer um treino de cerca de 30 km, na Ruta Nacional 9 para acostumar-se com as difíceis condições atmosféricas, com a baixa taxa de oxigênio vigente e também aproveitando também para conhecer a força do vento naquele horário.
Após um bom jantar fomos dormir cedo pois no dia seguinte iniciaria a mais brutal de todas as aventuras do Break on Through Project.

Cerro Colorado
Treino de Aclimatação
Hotel's Girl

 

 

Etapa 1

04/09/2014 - Quinta-feira

Jornada de 08 horas
08:00 às 16:00
.
LA QUIACA até TRES CRUCES

103 km

Via
Estepe Altiplânica

Ruta Nacional 9

Altitudes entre 3400 e 3800 msnm

Temperaturas entre -02 e 28ºC

Start Heavy Tour
Primeiros Quilômetros
Altiplano Andino

Começo empolgante no ainda altiplano boliviano que invade a Argentina por cerca de 80 km. Já na saída de La Quiaca começa uma montanha que margeia a rodovia por cerca de 70 km de comprimento até bem perto da cidade de Abra Pampa. Apesar do frio e do vento, o ciclista, com boa adaptação orgânica às difíceis condições atmosféricas, detonou e chegou em Abra Pampa, após passar por três mini-cidades perdidas no meio do deserto por volta de 14:00 hs.

Longe Não Existe...
Aqui o Bicho Chora!
Cidade de Abra Pampa

A partir da referida cidade, começa a Quebrada de Humahuaca, região tombada pela UNESCO como patrimônio natural e cultural da humanidade, com montanhas de coloração alucinógenas. Nesse momento o calor era forte e a altitude estava na casa dos 3.800 msnm, enquanto o visual permanecia pra lá de Bagdá.
Chegamos na cidade de Tres Cruces as 16:00 hs, após 103 km muito bem pedalados.

Quebrada de Humahuaca
Vai que Vai...
Região de Tres Cruces

Resumo da Etapa: SHOW DE BOLA !

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 103 KM

 

 

 

Etapa 2

05/09/2014 - Sexta-feira

Jornada de 10 horas
08:00 às 18:00
.
TRES CRUCES até PURMAMARCA

134 km

Via
Quebrada de Humahuaca

Ruta Nacional 9

Altitudes entre 3800 e 2200 msnm

Temperaturas entre 05 e 32ºC

Arroyo del Diablo
Piloto de Apoio
Descendo a Quebrada

Iniciamos a segunda etapa passando pela fantástica região do Arroyo del Diablo. A Quebrada de Humahuaca é realmente uma região incrível. 
Pela manhã o frio estava intenso e encontramos várias placas de gelo, tanto no meio da pista quanto em barrancos laterais.
Passamos pela cidade de Humahuaca por volta de 13:00 hs e almoçamos nessa famosa e turística cidade.

Born a Lion
Cidade de Humahuaca
Fortaleza Aymará

A partir daí o visual mudou um pouco com as montanhas tendo uma coloração mais constante e definida, porém não menos impactante, com formas e matizes bem diferentes. Com o relevo em declive, a detonação foi alucinante.
No meio do caminho, cidades históricas e fortalezas do tempo dos incas como Tiucara, Maimara e Sumaj Pacha até a chegada na cidade de Purma Marca com suas montanhas coloridas e seu notório Cerro de las Siete Colores.

Final da Quebrada
Cercanias de Purmamarca
Purma City

Resumo da Etapa: SEM PALAVRAS !

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 237 KM

 

 

 

Etapa 3

06/09/2014 - Sábado

Jornada de 07 horas
09:00 às 16:00
.
PURMAMARCA até EL QUEMADO

35 km

Via
Serpente de Lipán

Ruta Nacional 52

Altitudes entre 2200 e 4300 msnm

Temperaturas entre 12 e 28ºC

Cierro de Las Siete Colores
Susques no Alvo
Início da Serpente

A cidade de Purmamarca é qualquer coisa de surreal. Aos pés da Montanha das Sete Cores, é nessa cidade que começa a Ruta Nacional 52, que leva ao Chile e ali também começa a gigantesca subida da Serpente de Lipán, uma estrada sinuosa com muitas curvas e cotovelos e que sobe 2.200 m em apenas 35 km, sendo que foi utilizada o tempo inteiro a técnica do "slalon" (zigue-zague) e a combinação de marcha mais leve da bicicleta, também conhecida como "vovózinha".

Vamo aí, Diney...
Aqui o Bicho Chora!
Snack Time

O ciclista levou exatamente 07 horas para percorrer os 35 km e chegar na localidade de El Quemado. A falta de oxigênio é brutal e perigosa, e cada metro percorrido era comemorado com entusiasmo pela equipe, sendo que os últimos 05 km - já a partir dos 4.000 msnm - foram percorridos em 02 horas de pedalada. Pode-se imaginar o visual e a imponência das montanhas, nessa que é uma das estradas  mais difíceis para o ciclismo.

Chegando nas Nuvens
Alto de Lipán
Guerrilha em Lipán

Resumo da Etapa: HEAVY METAL!

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 272 KM

 

 

 

Etapa 4

07/09/2014 - Domingo

Jornada de 08 horas
04:30 às 12:30
.
EL QUEMADO até MAL PASO

75 km

Via
Salinas Grandes

Ruta Nacional 52

Altitudes entre 4300 e 3800 msnm
}
Temperaturas entre -07 e 20ºC

Saída do Alto de Lipán
Deserto de Sal
Maior Salina do Mundo

Iniciamos a jornada em El Quemado às 04:30 hs da madrugada, com a temperatura na casa dos -07º C e com o gelo invadindo a pista e congelando até as ideias. Com o suporte fundamental do piloto de apoio, o ciclista atirou-se pelo alto da cordilheira com a iluminação prateada de uma imensa lua. O frio não dava trégua e por volta das 07:30 hs, entramos na região das Grandes Salinas, considerada a maior salina de cloreto de sódio do mundo, em um platô de cerca de 70 km de extensão. 

Vilarejo de Tres Pozos
Igreja de Aguas Blancas
Saltemos Então...

Sem dúvida um dos melhores domingos de nossas vidas, com direito a um café da manhã regado a empanadas e suco de soja em pleno deserto de sal. Mantendo um bom ritmo e após passarmos por dois vilarejos fantasmas naquela imensidão tão magnífica quanto assustadora, começamos a visualizar as montanhas da Serra de Susques. Por volta do meio-dia, na localidade de Mal Paso, encerramos a estonteante etapa.

Puna do Atacama
Free Biker
Altitude Média na Etapa

Resumo da Etapa: ALTAMENTE CHOCANTE !

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 347 KM

 

 

 

Etapa 5

08/09/2014 - Segunda-feira

Jornada de 07 horas
09:00 às 16:00
.
MAL PASO até HUANCAR

58 km

Via
Serra de Susques

Rutas Nacionais 52 e 40

Altitudes entre 3800 e 4000 msnm

Temperaturas entre -03 e 35ºC

Passagem Ruim
This is Mal Paso
Raé, Parceira Eterna!

Mal Paso é um lugar estranho. A estrada é cercada por montanhas escuras e tão altas que não permitem a passagem da luz solar, criando quilométricas placas de gelo à beira da rodovia. Mal Paso é também a porta de entrada para a Serra de Susques, que passa dos 4.000 msnm no seu cume. O ciclista levou cerca de 03 horas para vencer essa serra com paisagens inesquecíveis e chegar à cidade de Susques, a 3.900 msnm, por volta das 13:00 hs.

Alto da Serra de Susques
Rutas Mitológicas
Visual na 40

Susques já foi uma importante cidade da Argentina quando era um grande centro minerador, mas hoje é uma pequena cidade com ruas de terra, casebres e construções tipicamente andinas. É de Susques que parte um dos trechos mais violentos da lendária Ruta 40, o chamado "Tramo de Pastos Chicos" (ou Trecho do Rio Pastos Chicos). Entramos nela e percorremos 23 km até que por volta das 16:00 hs, chegamos na localidade de Huancar, onde recolhemos a bike e voltamos para um hotel em Susques.

Diney no Coração da Puna
Rio Pastos Chicos
Chegada em Huancar

Resumo da Etapa: DELÍRIO BRUTAL !

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 405 KM

 

 

 

Etapa 6

09/09/2014 - Terça-feira

Jornada de 08 horas
09:00 às 17:00
.
HUANCAR até PUESTO SEY

56 km

Via
Vulcão Tuzgle

Ruta Nacional 40

Altitudes entre 4000 e 3700 msnm

Temperaturas entre 08 e 33ºC

Região de Huancar
Pastos Chico's River
Morada Aborígene

A Ruta 40 é uma estrada mitológica e atravessa por mais de 5.000 km todo o território argentino. E é avassaladora em todos os sentidos. Saímos de Huancar com muito frio e um sol já estalado no horizonte, com o rio Pastos Chicos margeando a rodovia o tempo todo, os visuais iam se multiplicando junto com lhamas, vicunhas e bandos de burros selvagens. A estrada é bastante complicada, com muita areia, pedras e buracos. Tem que pedalar muito para poder sair do lugar. Por volta de 10:30 hs, após uma subida em curva, nos deparamos com uma montanha gigansca que devia estar a pelo menos 50 km de distância. Era o vulcão Tuzgle, com seus 5.500 m de altura. Imponentíssimo.

Filmando o Vulcão
Red Dragon
Praça de Pastos Chicos

A pedalada continuava feroz e difícil no meio de vendavais e a cerca de 4.000 m.s.n.m. Por volta de 13:00 hs entramos no povoado de Pastos Chicos e fizemos um lanche na "muy simpatica pracita". Ali realmente é outro planeta. Por volta de 14:00 hs, voltamos para a famigerada Ruta 40 e aí o bicho pegou, e pegou bonito: tínhamos mais cerca de 30 km até o próximo povoado. Pura detonação. Foi uma tarde nervosa naquela imensidão cinematográfica, com o piloto de apoio fazendo os 5 km finais na bike até o povoado de Puesto Sey.

Saída de Pastos Chicos
Pancadaria na 40
Chegada em Puesto Sey

Resumo da Etapa: TOTAL DETONATION !

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 461 KM

 

Província de Jujuy
 
Prov. de Salta, Tucúman e Catamarca
 
Etapas 01, 02, 03, 04, 05 e 06
 
Etapas 07, 08, 09, 10 e 11

Trechos Percorridos de Carro: 90 + 20 + 15 = 125 km

 

 

Etapa 7

10/09/2014 - Quarta-feira

Jornada de 07 horas
09:30 às 16:30
.
ABRA BLANCA até CAMPO QUIJANO

77 km

Via
Quebrada del Toro

Ruta Nacional 51

Altitudes entre 4000 e 1400 msnm

Temperaturas entre 01 e 35ºC

Mais um Dia...
Alto do Abra Blanca
Descendo a Quebrada

Devido a problemas de intransitabilidade na Ruta 40 a partir de Puesto Sey e obras na Ruta 52, fomos obrigado um trajeto de cerca de 85 km de carro até o povoado de Abra Blanca. Saímos desta pequena localidade por volta de 09:00h com muito, muito frio e um vento congelante, e com um visual daqueles. Cerca de 10 km e 01 hora de pedalada com uma boa subida após a pequena Abra Blanca, chegamos no Alto del Toro a 4.080 msnm, onde começa a fantástica Quebrada del Toro. Percebemos nesse momento que o quadro da bike havia rompido de forma comprometedora, com a roda traseira totalmente descentralizada e tendo opção de marchas apenas na coroa central, pois os engates traseiros não respondiam devido ao espaçamento do quadro justamente na barra de sustentação do lado dirieto da bike.

Olha Isso!
Santa Rosa
Coração del Toro

Sem outra opção no momento e numa atitude extremamente "hard", o ciclista se atirou ladeira abaixo com um olho na estrada, outro no quadro e os dois nas paisagens espetaculares que sucediam-se após cada curva. Com cerca de 100 km de extensão, a Quebrada del Toro é um lugar muito perigoso, com grandes curvas abertar (e outras nem tanto) e um convite para alta velocidade nos dois sentidos da pista. Por volta do meio dia, o vento começou a ficar tão forte que obrigava o ciclista, mesmo em uma descida daquela magnitude, a pedalar em pé e na marcha mais pesada possível, em uma verdadeira odisséia por aquelas intermináveis montanhas até a ponte sobre o Rio Toro, onde resolvemos encerrar a etapa e procurar algum tipo de reparo ou substituição da bike na cidade de Campo Quijano cerca de 20 km à frente.

Break on Through Project
Região de Cauchari
Final da Etapa

Resumo da Etapa: ONLY THE BRAVE !

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 538 KM

 

 

 

Etapa 8

11/09/2014 - Quinta-feira

Jornada de 07 horas
09:30 às 16:30
.
CAMPO QUIJANO até LA VIÑA

84 km

Via
Vale de Lerma

Ruta Nacional 68

Altitudes entre 1400 e 1200 msnm

Temperaturas entre 08 e 27ºC

Campo Quijano
Rosario de Lermo
Ponte do Rio Rosario

Na simpática cidade de Rosario de Lerma, achamos uma serralheria que fazia soldas em alumínio. Deixamos a bike desde o final da tarde do dia anterior e pegamos a "menina" novamente por volta de 10:30 hs já devidamente operada, suturada e com o quadro soldado. Saímos de campo Quijano por volta de 11:00 hs, e 12 km depois, na cidade de Rosario de Lerma, tivemos outro probleminha, dessa vez com a filmadora, saindo dali finalmente às 14:00 hs quando, com 'tudo em cima' disparamos em direação à Ruta 68.

Strange Tree
Vai um Vinho Aí?
Vale de Lerma

Essa foi uma etapa bem atípica, pois atravessamos uma região bem diferente das outras e um pouco menos desértica: o Vale de Lerma. Uma paisagem mais verde com as enormes montanhas da Cordilheira cercando dos dois lados aquela grande planície. A bike estava "zero bala" e o ciclista esmerilhou a Ruta 68, passando por algumas pequenas cidades produtoras de vinho e chegando na cidade de La Viña após 85 km muito bem pedalados, por volta das 18:00 hs.

Hard Bike Tour 11
Paisagens Andinas
Pense Nisso!

Resumo da Etapa: INCENDIÁRIA!

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 622 KM

 

 

 

Etapa 9

12/09/2014 - Sexta-feira

Jornada de 10 horas
09:00 às 19:00
.
LA VIÑA até CAFAYATE

105 km

Via
Quebrada de Las Conchas

Ruta Nacional 68

Altitudes entre 1400 e 1700 msnm

Temperaturas entre 15 e 36ºC

Sandro de Curitiba
In the Road
Entrando na Quebrada

A travessia da Quebrada de Las Conchas foi, sem sombra de dúvida, uma das mais impactantes e maravilhosas etapas de todas as Hard Bike Tour, senão a mais especial delas em termos visuais, pois a região é assombrosa, por assim dizer. Certos trechos que se sucedem parecem cenário produzidos por sofisticada computação de estúdios hollywoodianos. Saímos de La Viña ainda no Vale de Lerma e após a pequena localidade Alemania, onde encontramos o ciclista curitibano Sandro, começou uma transmutação radical da paisagem.

Super Pilot
Reserva Natural
Devil Monster Tour

Com o Rio de Las Conchas margeando a boa rodovia e entrecortando altas e diferentes montanhas que pareciam ter se fundido a um arco-íris, tamanha a profusão de cores que emanavam de suas várias formas. A região é um lugar mágico, tão deslumbrante quanto estranho. Parece o pedaço de uma outra dimensão! Após passarmos pela Garganta del Diablo, uma enorme fenda que servia de observatório cosmológico para os nativos da etnia Diaguita, chegamos na parte baixa da Quebrada, onde encontram-se vários monolitos e outras pedras com estranhas formas. Nesta parte o vento era tão forte que obrigava o ciclista a empurrar a bicicleta. Por volta de 19:00 hs, chegamos na cidade de Cafayate.

Garganta do Diabo
Vale de las Conchas
Chegada em Cafayate

Resumo da Etapa: DESLUMBRANTE !

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 727 KM

 

 

 

Etapa 10

13/09/2014 - Sábado

Jornada de 10 horas
07:00 às 17:00
.
CAFAYATE até AMAICHA

48 km

Via
Vale dos Quilmes

Rutas Nacional 40 e Provincial 307

Altitudes entre 1700 e 2000 msnm

Temperaturas entre 06 e 28ºC

Saída de Cafayate
Tira a Mão Daí...
Ruínas de los Quilmes

Saímos às 07:00 hs da bonita Cafayate e disparamos pela Ruta 68, agora já no coração dos Vales Calchaques. Com temperatura agradável, a pedalada transcorria de forma veloz quando após cerca de 25 km percorridos, o ciclista percebeu que o quadro de sua bike estava novamente rompido e que a única maneira de continuar a jornada seria com a reposição de outra bicicleta, ou pelo menos de outro quadro.

Cidade Sagrada
Nossa Guia em Quilmes
Amigas Andinas

Voltamos então para Cafayate para tentar alguma solução, porém a perspectiva não era das melhores. Deixamos a bike em um "bicicletaria", e fomos conhecer as ruínas da cidade/fortaleza dos Quilmes, um dos povos mais ferozes e indomáveis da América do Sul. Novamente em Cafayate e sem solução para o problema com a bike, reiniciamos a etapa no trevo da Ruta Nacional 40 com a Ruta Provincial 307, chegando Amaicha del Valle por volta de 18:00 hs com a bike totalmente comprometida.

Entrando na 307
Tierra de los Amaichas
Amaicha's Heavy Chevy!

Resumo da Etapa: TREPIDANTE !

DISTÂNCIA ACUMULADA DE 775 KM

 

 

 

Etapa 11

14/09/2014 - Domingo

Jornada de 02 horas
09:00 às 11:00
.
AMAICHA até SANTA MARIA

23 km

Via
Vale de Yokavil

Rutas Nacional 40 e Provincial 327

Altitudes entre 2200 e 1800 msnm

Temperaturas entre 12 e 18ºC

Cultura Diaguita
Central Square
Descanso do Guerreiro

Sem condições de uma reposição rápida por ser final de semana e por conta de uma procissão em uma outra região da província, que esvaziou Cafayate, cidade essa que era, ou melhor, seria nossa esperança para solucionar o problema da bike. Resolvemos então encerrar a pedalada, aproveitando o fato de que estávamos com praticamente 800 km ou 500 milhas percorridas, e considerando também de forma decisiva a superintensidade da aventura além da altíssima qualidade tanto ciclística quanto turística do evento.

Vale Sagrado
Ruta Provincial 327
Strong Tour

A pequena pedalada de 23 km em 02 horas foi o retrato da aventura. Saímos de Amaicha com um vento contrário poderoso e temperatura baíxissima. O Vale de Yokavil é bastante ondulado, e com a bike em péssimas condições, ou melhor, já sem condição nenhuma, pode-se dizer que a etapa foi "very hard" dentro de uma aventura "very heavy". Logo após entrarmos na província de Catamarca, chegamos na entrada da cidade de Santa Maria, onde aos pés de uma enorme estátua de Pachamama, encerramos a Tour del Diablo, a mais poderosa das jornadas, com 798 km ou 496 milhas percorridas, desde a cidade de La Quiaca, com uma média aproximada de 73 km/dia em uma das regiões mais infernais do planeta. FOI O BICHO...

Divisa de Províncias
Vale dos Índios Yokavil
Pachamama em Sta. Maria

Resumo da Etapa: PESADA !

DISTÂNCIA FINAL ACUMULADA DE 798 KM

 

Agradeço a coragem, determinação, espírito esportivo e senso de companheirismo do piloto de apoio Valdiney Rodriguez, sendo sua participação fundamental e decisiva na realização da jornada.

 

Aventura dedicada

"in memorian"

do meu

melhor único amigo

MYKO

(Micoretus pretus)

2003 - 2014

Podes crer, Mikinho... TE AMO!

 

Richard
Support Baby Official Biker........